BRASILGÁS

BRASILGÁS

Aragom Modas

Lucas Chicabana

Lucas Chicabana
NÃO PERCA ESTA OPORTUNIDADE!

VENDE-SE UM TERRENO MEDINDO 11 TAREFAS. TABULEIRO ÓTIMO PARA CHÁCARA PRÓXIMO À CAIXA D'ÁGUA EM BANDIAÇU, CONCEIÇÃO DO COITÉ-BA, COM ÁGUA ENCANADA, ENERGIA ELÉTRICA E INTERNET PRÓXIMAS.

CONTATOS: (71) 99296-1175 (75) 99819-7823, 98124-9844 (Evódio), 99121-4433 e 98155-9060.

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Traficante foge da cadeia no RJ, troca nome e se muda para a Bahia, onde se formou em Direito e atuava como advogado com OAB

Anderson Luiz Moreira da Costa virou Adson Moreira de Menezes. Impressões digitais confirmaram que os dois homens são a mesma pessoa.
Anderson Luiz Moreira da Costa virou Adson Moreira de Menezes. Impressões digitais confirmaram que os dois homens são a mesma pessoa.
Após fugir da cadeia, um traficante do Morro da Serrinha, que fica em Madureira, na Zona Norte do Rio, se mudou para a Bahia para tentar recomeçar a vida. Como o RJ2 desta quarta-feira (1º) mostrou, ele estudou, se formou em Direito e até conseguiu passar na prova da Ordem dos Advogados do Brasil. Anderson Luiz Moreira da Costa virou Adson Moreira de Menezes. 

O mesmo rosto, mas fichas criminais bem diferentes. As impressões digitais confirmaram o que a polícia já suspeitava. Os dois homens são a mesma pessoa. Quando era Anderson, o homem chefiava o tráfico do Morro da Serrinha. Isso ocorreu entre a década de 1990 e início dos anos 2000. Na comunidade, ele era conhecido como “Espinha”, por causa de uma cicatriz na barriga. 

“Além de tráfico de drogas, ele também tem passagem por latrocínio e por porte de armas. Aí, denota-se que era uma pessoa violenta”, contou a delegada titular da 77ª DP (Icaraí), Raíssa Celles. Anderson cansou de fugir da polícia do Rio. Depois de fugir da prisão, juntou dinheiro, arranjou documentos falsos e sumiu. Por mais de dez anos, ele se escondeu em Salvador, capital da Bahia. 

Já como Adson, Anderson abriu negócios: um restaurante, uma loja de instrumentos musicais e outra de peças de motos. “A gente identificou que na Bahia ele fez faculdade de Direito, se formou e atuava como advogado com OAB, legalmente retirada no estado da Bahia”, explicou a delegada. 

O falso Adson chegou a ser aprovado num concurso público como estagiário de uma penitenciária baiana. Em 2019, o homem terminaria uma pós-graduação em Ciências Criminais, e pretendia dar aulas em universidades. Anderson foi preso por agentes da 77ª DP (Icaraí). Ele tinha em seu nome três mandados de prisão por latrocínio e tráfico.

Do Portal NS/Fonte:RJ2

Nenhum comentário: