BRASILGÁS

BRASILGÁS

BERG ARAGOM NOVO

Lucas Chicabana

Lucas Chicabana
NÃO PERCA ESTA OPORTUNIDADE!

VENDE-SE UM TERRENO MEDINDO 11 TAREFAS. TABULEIRO ÓTIMO PARA CHÁCARA PRÓXIMO À CAIXA D'ÁGUA EM BANDIAÇU, CONCEIÇÃO DO COITÉ-BA, COM ÁGUA ENCANADA, ENERGIA ELÉTRICA E INTERNET PRÓXIMAS.

CONTATOS: (71) 99296-1175 (75) 99819-7823, 98124-9844 (Evódio), 99121-4433 e 98155-9060.

segunda-feira, 4 de junho de 2018

Presidente da Síria quer visitar Kim Jong-un na Coreia do Norte, diz agência

Líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o chanceler russo, Sergei Lavrov, em encontro em Pyongyang no dia 31 de maio (Foto: Valery Sharifulin/TASS News Agency Pool Photo via AP)
Kim Jong-un e o chanceler russo, Sergei Lavrov, em encontro em Pyongyang no dia 31 de maio | Foto: Valery Sharifulin/TASS News Agency Pool Photo via AP
O presidente da Síria, Bashar al-Assad, quer visitar o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, em Pyongyang, informou neste domingo (3) a agência estatal norte-coreana KCNA. “Meu desejo é viajar para a Coreia do Norte e me reunir com Kim Jong-un no futuro”, disse Assad a Mun, segundo a KCNA. 

Não foram divulgados detalhes de quando esse hipotético encontro ocorreria. Caso realmente ocorra, esta seria a primeira vez que Kim recebe um presidente na Coreia do Norte. 

Após a guinada diplomática dos últimos meses, o líder norte-coreano, que não tinha se reunido com nenhum líder estrangeiro em seus mais de seis anos no poder, realizou duas cúpulas com o presidente da China, Xi Jinping, e se encontrou outras duas vezes com o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in. 

Além disso, Kim deve se encontrar com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no próximo dia 12, em Cingapura. “O mundo saúda este notável acontecimento na península coreana”, disse Assad sobre o encontro, de acordo com a KCNA. Conforme a agência, o presidente sírio disse estar seguro de que Kim poderá chegar à “vitória final e conseguir a reunificação coreana”. 

O regime de Pyongyang mantém uma relação muito próxima com a Síria. Ambos os governos são acusados por investigadores da ONU de cooperar em um programa de armas químicas.

Do Portal NS/Fonte:Deutsche Welle

Nenhum comentário: