BRASILGÁS

BRASILGÁS

Aragom Modas

Lucas Chicabana

Lucas Chicabana
NÃO PERCA ESTA OPORTUNIDADE!

VENDE-SE UM TERRENO MEDINDO 11 TAREFAS. TABULEIRO ÓTIMO PARA CHÁCARA PRÓXIMO À CAIXA D'ÁGUA EM BANDIAÇU, CONCEIÇÃO DO COITÉ-BA, COM ÁGUA ENCANADA, ENERGIA ELÉTRICA E INTERNET PRÓXIMAS.

CONTATOS: (71) 99296-1175 (75) 99819-7823, 98124-9844 (Evódio), 99121-4433 e 98155-9060.

quinta-feira, 7 de junho de 2018

Bancários antecipam campanha salarial e greve pode ocorrer este mês

Os bancários já estão se preparando para a campanha nacional da categoria. A Conferência Nacional, que resulta na pauta de reivindicações, acontece neste sábado e domingo, em São Paulo. A pauta de negociação deve ser entregue no dia 12 deste mês.
De acordo com Edmilson Cerqueira, na conferência interestadual dos bancários da Bahia e Sergipe, foi aprovado um pedido de 5% de reajuste mais a inflação do período. Mas ele reforça que a campanha esse ano não vai focar no reajuste salarial e sim na manutenção de direitos adquiridos pela categoria, que, segundo ele, podem ser perdidos com a reforma trabalhista.
Diante da situação, o sindicalista destaca que os bancários anteciparam as pautas de reivindicações e afirma que caso algum direito seja perdido, a categoria pode entrar em greve ainda neste mês de junho.
“Com a reforma trabalhista, na nossa convenção de 72 itens, 60% podemos perder no dia 1º de setembro. Por isso estamos fazendo uma campanha antecipada para que a gente consiga assinar um acordo antes da data base e manter o que já conquistamos durante os últimos 50 anos e que com a reforma os patrões estão querendo tirar. Se os banqueiros quiserem tirar direitos dos bancários, a gente pode ter uma greve ainda em junho”, frisou.
Acorda CidadeEdmilson Cerqueira citou alguns direitos que podem ser perdidos. “Com a reforma trabalhista a categoria pode perder o tíquete restaurante, participação nos lucros, gratificação semestral e até o plano de saúde. A reforma trabalhista quer acabar com nossos direitos e se isso acontecer é possível que tenhamos uma greve muito mais forte que as dos anos anteriores”, afirmou.

Do Portal CN

Nenhum comentário: