BRASILGÁS

BRASILGÁS

Aragom Modas

Lucas Chicabana

Lucas Chicabana
NÃO PERCA ESTA OPORTUNIDADE!

VENDE-SE UM TERRENO MEDINDO 11 TAREFAS. TABULEIRO ÓTIMO PARA CHÁCARA PRÓXIMO À CAIXA D'ÁGUA EM BANDIAÇU, CONCEIÇÃO DO COITÉ-BA, COM ÁGUA ENCANADA, ENERGIA ELÉTRICA E INTERNET PRÓXIMAS.

CONTATOS: (71) 99296-1175 (75) 99819-7823, 98124-9844 (Evódio), 99121-4433 e 98155-9060.

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Movimento ligado a Huck assina compromisso com PPS

O PPS e o movimento Agora! assinaram nesta terça-feira em Brasília, uma carta-compromisso de ação política. Os principais pontos do documento falam em espaços para candidatos oriundos do movimento se candidatarem nas próximas eleições, autonomia dos seus participantes e a criação de um grupo para discutir “o revigoramento da vida partidária”. 
Além do PPS, o Agora! irá assinar uma carta semelhante com a Rede e com mais duas legendas (ainda não divulgadas pelo grupo). Apesar da assinatura com o movimento de renovação política, o “não” do apresentador Luciano Huck à candidatura presidencial deve levar o partido para a base de apoio do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).
“A carta é um primeiro compromisso, um primeiro passo. Ela aponta para a necessidade de uma ação concreta do movimento em direção à interferência na política”, disse um dos fundadores do Agora!, Leandro Machado. “Esse é um acordo de convergências, uma vontade de criar pontes e não destruí-las. Vontade de criar uma relação que pode ser de interdependência e troca com o universo político”, completou outro fundados do grupo, Humberto Laudares.
O presidente do PPS, Roberto Freire, afirmou que esse também foi um passo em direção às mudanças inevitáveis no “fazer político” e nos partidos. “Se a sociedade mudou, os sindicatos mudaram, a família mudou… Por que o mesmo não aconteceria com os partidos”, disse. A reunião nacional do PPS, marcada para os dias 23 a 25 de março, devem definir mudanças estatutárias e encaminhar uma decisão sobre candidaturas majoritárias. “Quando a candidatura Luciano Huck ainda era uma hipótese, havia a possibilidade de uma mudança de nome da legenda. Ela pode acontecer, mas saiu um pouco de foco”, disse Freire.
O deputado também confirmou que, sem Huck, a tendência é que o partido feche questão e apoie a candidatura do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Apoio pode ser fechado mesmo antes da reunião nacional. (Informações da Agencia Estado).
Do Portal Interior da Bahia

Nenhum comentário: