Gravação do DVD de Lívia Carvalho

Gravação do DVD de Lívia Carvalho

Lucas Chicabana

Lucas Chicabana

BERG ARAGOM NOVO

BRASILGÁS

BRASILGÁS
NÃO PERCA ESTA OPORTUNIDADE!

VENDE-SE UM TERRENO MEDINDO 11 TAREFAS. TABULEIRO ÓTIMO PARA CHÁCARA PRÓXIMO À CAIXA D'ÁGUA EM BANDIAÇU, CONCEIÇÃO DO COITÉ-BA, COM ÁGUA ENCANADA, ENERGIA ELÉTRICA E INTERNET PRÓXIMAS.

CONTATOS: (71) 99296-1175 (75) 99819-7823, 98124-9844 (Evódio), 99121-4433 e 98155-9060.

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Reforma da previdência é aprovada em meio a protestos e greve na Argentina

Manifestante segura bandeira da Argentina em protesto contra reforma previdenciária, em Buenos Aires, durante a madrugada desta terça (19) (Foto: Victor R. Caivano/AP Photo
Manifestante segura bandeira da Argentina em protesto contra reforma previdenciária | Foto: Victor R. Caivano/AP Photo
O Parlamento argentino aprovou a reforma da previdência na manhã desta terça-feira (19) apesar dos violentos protestos no país desde quinta-feira (14) e uma greve nos transportes, deflagrada à meia-noite. Os deputados argentinos passaram a madrugada tentando votar o projeto, que recebeu 128 votos a favor, 116 contra e duas abstenções, após mais de 12 horas de sessão, segundo o Clarín. 

De acordo com a AFP, a reforma impacta a receita de cerca de 17 milhões de aposentados, pobres e deficientes, entre outros, em uma população de 42 milhões. Nesta manhã, manifestantes contrários à reforma permaneciam nas ruas. 

Na segunda-feira (18), enquanto os deputados tentavam aprovar o projeto, houve um violento protesto que deixou ao menos 109 feridos, entre civis e policiais, de acordo com um balanço divulgado pelo Sistema de Atenção Médica de Emergências de Buenos Aires. O jornal “La Nación” traz um balanço maior: 162 feridos (entre eles, 88 policiais). 

O Ministério de Segurança da Cidade informou que 60 pessoas foram detidas. Os deputados chegaram a suspender a sessão por causa do confronto. Quando o debate foi retomado, a oposição tentou suspender a discussão, mas foram derrotados na votação por 128 a 114 (e uma abstenção).

Do Portal NS

Nenhum comentário: