Prêmio Fama

Prêmio Fama

Lucas Chicabana

Lucas Chicabana

BERG ARAGOM NOVO

BRASILGÁS

BRASILGÁS

Banner do Futsal Barbarense

Banner do Futsal Barbarense

Entec Informática

Entec Informática

Robério Transportes

Robério Transportes
NÃO PERCA ESTA OPORTUNIDADE!

VENDE-SE UM TERRENO MEDINDO 11 TAREFAS. TABULEIRO ÓTIMO PARA CHÁCARA PRÓXIMO À CAIXA D'ÁGUA EM BANDIAÇU, CONCEIÇÃO DO COITÉ-BA, COM ÁGUA ENCANADA, ENERGIA ELÉTRICA E INTERNET PRÓXIMAS.

CONTATOS: (71) 99296-1175 (75) 99819-7823, 98124-9844 (Evódio), 99121-4433 e 98155-9060.

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Fiscalização da ANP interdita 8 pontos de revenda de gás de cozinha em Conceição do Coité e 2 em Serra Preta

Foto: Pedro Ventura/ Agência Brasília/Ilustração
Durante a ação, foram apreendidos 181 botijões de gás cheios e 254 vazios | Foto: Pedro Ventura/ Agência Brasília/Ilustração
Uma fiscalização da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) interditou dez revendas de gás de botijão (GLP) nos municípios de Serra Preta, no centro-norte da Bahia, e Conceição do Coité, na região sisaleira do estado. A ação, que contou com o apoio da Polícia Civil, teve início na quarta-feira (29) e terminou nesta quinta (30). 

Em Serra Preta, foram interditados por problemas de segurança dois estabelecimentos pertencentes a um mesmo dono, sendo que um dos locais não possuía autorização para funcionar como revenda. Já em Conceição do Coité, foram interditados oito pontos de venda considerados clandestinos. 

Segundo a ANP, todos os locais foram mapeados antecipadamente pela polícia. Durante a ação, foram apreendidos 181 botijões de gás cheios e 254 vazios. Segundo o coordenador regional de fiscalização da ANP, Noel Santos, os donos dos estabelecimentos vão responder a processos administrativos. 

Além disso, as autuações podem gerar multas que variam de R$ 50 mil a R$ 1 milhão. “Os responsáveis pelos pontos de venda onde foram encontradas as irregularidades responderão a processos administrativos, com direito a ampla defesa, e poderão ser punidos com aplicação de multas da ANP, que variam de R$ 50 mil, para quem é flagrado cometendo a irregularidade pela primeira vez, até R$ 1 milhão, nos casos em que o comerciante for reincidente”, afirmou Noel. De acordo com ele, o objetivo da ação é coibir a venda ilegal e garantir a realização dos procedimentos relativos às normas de segurança.

Notícias de Santaluz

Nenhum comentário: