Prêmio Fama

Prêmio Fama

Lucas Chicabana

Lucas Chicabana

BERG ARAGOM NOVO

BRASILGÁS

BRASILGÁS

Banner do Futsal Barbarense

Banner do Futsal Barbarense

Entec Informática

Entec Informática

Robério Transportes

Robério Transportes
NÃO PERCA ESTA OPORTUNIDADE!

VENDE-SE UM TERRENO MEDINDO 11 TAREFAS. TABULEIRO ÓTIMO PARA CHÁCARA PRÓXIMO À CAIXA D'ÁGUA EM BANDIAÇU, CONCEIÇÃO DO COITÉ-BA, COM ÁGUA ENCANADA, ENERGIA ELÉTRICA E INTERNET PRÓXIMAS.

CONTATOS: (71) 99296-1175 (75) 99819-7823, 98124-9844 (Evódio), 99121-4433 e 98155-9060.

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Deputado pede mão de seu companheiro durante debate sobre casamento gay

Deputado liberal, Tim Wilson, pediu a mão de seu companheiro logo depois de a Câmara Baixa da Austrália aceitar debater o projeto para legalizar o casamento gay (Foto: Australian Parliament via Seven News / AFP
Deputado liberal Tim Wilson | Foto: Australian Parliament via Seven News / AFP
O deputado liberal, Tim Wilson, pediu nesta segunda-feira (4) a mão de seu companheiro logo depois de a Câmara Baixa da Austrália aceitar debater o projeto para legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo no país. 

Ao começar o debate, Wilson, do mesmo partido que o primeiro-ministro, Malcolm Turnbull, disse com a voz entrecortada: “Resta somente uma coisa a fazer. Ryan Patrick Bolger, quer se casar comigo?”. “Sim”, respondeu Bolger, seu companheiro há nove anos, que estava na galeria do público. 

A Câmara debate a proposta, que espera que seja aprovada antes do Natal, depois que o projeto de lei recebeu na semana passada o sinal verde do Senado. A proposta legislativa permite aos oficiantes de bodas religiosas a se opor a realizar este tipo de casamento, mas o impede no caso de oficiantes civis, tal como pediam vários deputados conservadores. 

O debate parlamentar começou depois que mais de 61% dos australianos expressaram seu apoio à legalização destas uniões numa pesquisa não vinculativa convocada por Turnbull em cumprimento de uma promessa eleitoral.

Do Portal NS/Fonte:Agência EFE

Nenhum comentário: