BERG ARAGOM NOVO

BRASILGÁS

BRASILGÁS

Entec Informática

Entec Informática

Robério Transportes

Robério Transportes
NÃO PERCA ESTA OPORTUNIDADE!

VENDE-SE UM TERRENO MEDINDO 11 TAREFAS. TABULEIRO ÓTIMO PARA CHÁCARA PRÓXIMO À CAIXA D'ÁGUA EM BANDIAÇU, CONCEIÇÃO DO COITÉ-BA, COM ÁGUA ENCANADA, ENERGIA ELÉTRICA E INTERNET PRÓXIMAS.

CONTATOS: (71) 99296-1175 (75) 99819-7823, 98124-9844 (Evódio), 99121-4433 e 98155-9060.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Itália fica de fora da Copa pela primeira vez em 60 anos

A seleção quatro vezes campeã do torneio ficará de fora pela primeira vez em 60 anos. Uma baixa sentida pelo planeta todo. Menos pela Suécia.
Os vice-campeões em 1958 determinaram a ausência mais significativa do Mundial da Rússia ao segurarem o empate sem gols no estádio Giuseppe Meazza, em Milão, nesta segunda-feira, pelo jogo de volta da repescagem europeia.
Desde a última vez que os italianos não jogaram a Copa, foram 14 participações, período em que ganharam dois títulos e foram vice em duas oportunidades. Esta será apenas a terceira vez que a Azzurra fica de fora do torneio – a outra ocorreu em 1930.
Dessa forma, o Mundial não contará com uma seleção europeia que já tinha sido campeã do mundo anteriormente pela primeira vez desde que a Inglaterra esteve ausente em 1978. Além disso, a Itália dá mais um vexame, uma vez que vinha de eliminações na fase de grupos em 2010 e 2014.
Já os suecos retornam à Copa após terem ficado de fora das duas últimas edições. Em sua participação mais recente, em 2006, o país escandinavo caiu nas oitavas de final.
Depois de terem perdido por 1 a 0 no confronto de ida, em Solna, os italianos foram para cima, controlaram a bola durante a maior parte do tempo e criaram diversas chances. Porém, sem muita organização e mostrando limitações quanto à criatividade, a equipe de Giampiero Ventura não conseguiu sequer estender a decisão para além dos 90 minutos.
Polêmicas e pressão italiana 
Precisando de pelo menos um gol para seguir com chances de ir Copa, a Itália foi para cima dos suecos, controlaram a bola e pressionaram, sobretudo na segunda metade da etapa inicial. Aos 15min, Immobile recebeu de Jorginho e concluiu para fora. A resposta veio sete minutos depois, com Buffon defendendo um chute de Berg sem dar rebote.
Aos 27min, veio a melhor chance do primeiro tempo. Candreva pegou sobra na área e soltou a pancada sobre o alvo, perto do travessão. Ainda vinha mais. Aos 39min, Olsen interviu em finalização de Immobile, e Lustig cortou no rebote. No minuto seguinte, Parolo concluiu por cima da meta. Dois minutos depois, o meio-campista seria travado por Granqvist em grande chegada dos mandantes. Aos 44min, Olsen fez boa defesa em arremate rasteiro de Florenzi.
Além das chances criadas pelos italianos, os 45 minutos também foram marcados por polêmicas. Primeiramente, os donos da casa pediram pênalti em disputa de Augustinsson com Parolo na área. Já os suecos queriam duas penalidades em toques de bola no braço – primeiramente de Darmian, depois, de Barzagli. No segundo lance, Forsberg até recebeu o cartão amarelo por reclamação.
A etapa inicial ainda teve uma baixa para os visitantes. Johansson machucou o joelho e precisou ser substituído por Svensson logo aos 19min.
Mais pressão e nada de gols 
Na volta do intervalo, a Azzurra quase marcou aos 8min, quando Florenzi finalizou de primeira após cruzamento de Darmian e mandou rente à trave da meta do goleiro Olsen. Quatro minutos depois, Chiellini chutou desviado, e Olsen encaixou. Aos 18min, Candreva levantou da direita, e Immobile concluiu ao lado do alvo, levando muito perigo.
O panorama seguiu o mesmo até o apito final. Aos 41min, El Shaarawy soltou a pancada de dentro da área e parou no arqueiro. A equipe da casa pressionou, atacou, assustou e… nada.
A Copa do Mundo de 2018 terá uma baixa irreparável.
Do Portal Esporte na Mídia/Por ESPN.com.br

Nenhum comentário: