Prêmio Fama

Prêmio Fama

Lucas Chicabana

Lucas Chicabana

BERG ARAGOM NOVO

BRASILGÁS

BRASILGÁS

Banner do Futsal Barbarense

Banner do Futsal Barbarense

Entec Informática

Entec Informática

Robério Transportes

Robério Transportes
NÃO PERCA ESTA OPORTUNIDADE!

VENDE-SE UM TERRENO MEDINDO 11 TAREFAS. TABULEIRO ÓTIMO PARA CHÁCARA PRÓXIMO À CAIXA D'ÁGUA EM BANDIAÇU, CONCEIÇÃO DO COITÉ-BA, COM ÁGUA ENCANADA, ENERGIA ELÉTRICA E INTERNET PRÓXIMAS.

CONTATOS: (71) 99296-1175 (75) 99819-7823, 98124-9844 (Evódio), 99121-4433 e 98155-9060.

domingo, 4 de junho de 2017

Ré na Lava Jato, senadora Gleisi Hoffmann é eleita presidente do PT

Gleisi recebeu 61% dos votos e superou Lindbergh Farias, que ficou com 38% (Foto: Daniel Teixeira/Estadão Conteúdo)
Gleisi recebeu 61% dos votos e superou Lindbergh Farias, que ficou com 38% | Foto: Daniel Teixeira/Estadão Conteúdo
O PT elegeu neste sábado (3) a senadora Gleisi Hoffmann (PR) como nova presidente da legenda. A eleição ocorreu durante a convenção nacional da sigla em Brasília. É a primeira vez que o partido tem uma mulher na presidência. 

Apoiada pela corrente da qual faz parte o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Gleisi foi eleita por 367 (61%) dos 593 votos. Ela disputou o cargo com o senador Lindbergh Farias (RJ), que recebeu 226 votos (38%), e o militante José de Oliveira, que não recebeu votos. Gleisi deverá liderar o partido por um mandato de dois anos. 

O principal desafio é de conduzir a agenda política do principal partido de oposição no país, que perdeu força após escândalos de corrupção revelados pela operação Lava Jato. A nova presidente da sigla, inclusive, responde a processo no Supremo Tribunal Federal (STF). 

Ré na Lava Jato, Gleisi é acusada de corrupção passiva e lavagem de dinheiro por pedir e receber, segundo o Ministério Público, R$ 1 milhão desviados do esquema na Petrobras. Gleisi também foi citada por três delatores da Odebrecht. 

Eles relataram pagamentos feitos a pedido do marido dela, Paulo Bernardo, quando ele era ministro dos governos Dilma e Lula. Os recursos teriam abastecido as campanhas de Gleisi para a prefeitura de Curitiba em 2008; para o Senado em 2010; e para o governo do Paraná em 2014.

Do Portal NS

Nenhum comentário: