Prêmio Fama

Prêmio Fama

Lucas Chicabana

Lucas Chicabana

BERG ARAGOM NOVO

BRASILGÁS

BRASILGÁS

Banner do Futsal Barbarense

Banner do Futsal Barbarense

Entec Informática

Entec Informática

Robério Transportes

Robério Transportes
NÃO PERCA ESTA OPORTUNIDADE!

VENDE-SE UM TERRENO MEDINDO 11 TAREFAS. TABULEIRO ÓTIMO PARA CHÁCARA PRÓXIMO À CAIXA D'ÁGUA EM BANDIAÇU, CONCEIÇÃO DO COITÉ-BA, COM ÁGUA ENCANADA, ENERGIA ELÉTRICA E INTERNET PRÓXIMAS.

CONTATOS: (71) 99296-1175 (75) 99819-7823, 98124-9844 (Evódio), 99121-4433 e 98155-9060.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Lula é intimado a depor sobre acusação de obstruir Lava Jato

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi intimado a depor em Brasília, no dia 17 de fevereiro, no processo em que é investigado por supostamente tentar comprar o silêncio de Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras, e obstruir a Justiça no âmbito das investigações da Operação Lava Jato.
O processo é parte da delação do ex-senador Delcídio do Amaral. A denúncia, porém, não foi confirmada por Cerveró. Lula, que é réu no processo, deve depor, mas pedirá para ser ouvido por videoconferência, em São Paulo. A intimação foi feita antes da ex-primeira-dama Marisa Letícia ter o AVC (Acidente Vascular Cerebral) que levou a sua morte.
A delação de Delcídio foi vazada em março do ano passado. Além de acusar o ex-presidente, o ex-parlamentar alvo da Lava Jato delatou que Dilma Rousseff também teria tentado interferir nas investigações, com a ajuda do então ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.
Os investigadores não conseguiram ainda comprovar o depoimento do ex-senador, que menciona apenas “Lula me disse” ou “Lula me pediu”. Na delação à Procuradoria-Geral da República, Delcídio baseia toda a denúncia contra o ex-presidente Lula acusando-o de se reunir com o chefe de gabinete Diogo Ferreira, José Carlos Bumlai e o filho Maurício Bumlai para comprar o silêncio de Cerveró por R$ 250 mil.
De acordo com a defesa do ex-presidente, o Ministério Público se baseia apenas na delação premiada do ex-senador Delcídio do Amaral, “que é falsa e sem nenhuma comprovação, feita apenas para negociar sua saída da cadeia”. “Não há uma única conduta do ex-presidente na denúncia que possa configurar embaraço ou impedimento às investigações criminais”, dizem os advogados Roberto Teixeira e Cristiano Zanin Martins.
Do Portal Correio24horas/Foto: Google Imagens

Nenhum comentário: